Hello World - O recomeço do Plutonio Tech

Há algum tempo não posto nada neste blog, e há diversos motivos para tal, exceto a falta de vontade. O principal motivo foi que já existem blogs demais concorrendo no ramo de notícias do mundo tech/geek. Então eu pensei que poderia usar essa poderosa ferramenta para fazer algo mais útil que reinventar a roda.

Concordo que minha ideia não é algo novo, porém vamos executar este piloto.

A ideia consiste em fazer um blog e vlog com dicas de programação, tutoriais básicos e avançados de como fazer determinadas coisas com códigos-fonte. Isso leva a que, inicialmente, não me reterei a nenhuma linguagem de programação, podendo usar a que for mais adequada ao exemplo a ser explanado. Quero assim poder trazer até vocês um pouco do que eu conheço, aprender com vocês e assim fazer algo bom para o mundo (ou ao menos a uma parte dele).

Programar não é mais uma coisa exclusiva daquele nerd de óculos gigantes virando madrugadas. É visível que com o estabelecimento de uma constante inovação no ramo tecnológico nos traz a necessidade de conhecer ao menos um pouco sobre o funcionamento das coisas que nos acercam.

Um bom exemplo disso pode ser dado com um carro: eu não preciso saber como construir um carro pra poder possuir e/ou dirigir um, mas um conhecimento básico sobre a mecânica dele poderá me livrar de diversos problemas, como um pneu furado, superaquecimento do motor ou mesmo quando precisar ligar o carro "no tranco" em determinadas situações.

Então com base nessa ideia vamos seguir com o nosso primeiro post!

O "Hello World" é um programa básico, com o intuito de demonstrar o funcionamento básico de uma determinada linguagem, sua estrutura, ou simplesmente mostrar que o sistema funciona e está pronto pra dar início ao desenvolvimento de um novo software.

Porém, como toda regra tem uma exceção, nem todo Hello World é simples, podendo se estender por várias linhas de código.



Vamos mostrar aqui alguns exemplos:


/*
 * Exemplo de Hello World em Java
 * Este texto é um comentário, portanto não é interpretado.
 */

public class HelloWorld {
   public static void main(String[] args)
   {
      System.out.println("Hello, World");
   }
}

/*
 * Exemplo de Hello World em C
 * Este texto é um comentário, portanto não é interpretado.
 */

#include<stdio.h>

main()
{
   printf("Hello World");
}

Com base nestes programas, já podemos identificar algumas estruturas de cada linguagem de programação, estruturas que veremos mais a fundo no próximo post.

Para que possamos escrever códigos-fonte e estes serem executados pelo computador, precisamos de um elemento intermediário: o compilador, ou interpretador. Compilador é um software capaz de transcodificar um código-fonte da linguagem em que foi escrito para comandos em código binário, ou, dependendo da linguagem, como o Java, para bytecode, que é uma linguagem intermediária a ser executada em uma máquina virtual. Esse código final é o programa já pronto para ser executado.

Há porém algumas linguagens que não são compiladas e sim interpretadas por um software interpretador, que então é responsável por enviar os comandos à máquina. Um bom exemplo desse tipo de linguagem é o Javascript, muito utilizado em ambientes Web e interpretado pelo próprio navegador. Outro exemplo é a linguagem Haskell, interpretada e executada pelo GHC. Esta é comumente utilizada em ambientes científicos, ou que exija cálculos de funções matemáticas complexas.

Existem linguagens de todos os tipos e para todos os gostos. A devida escolha da linguagem a ser utilizada em um projeto vai variar de acordo com as necessidades deste. Porém é muito comum que um mesmo projeto utilize diferentes linguagens que juntas dividem e resolvem o problema proposto para tal projeto.

Então, resumindo, o que é necessário pra começar a desenvolver software é:
• Propor um problema a ser resolvido, ou uma ideia a ser implementada
• Analisar quais recursos serão necessários (esta parte pode acontecer diversas vezes num mesmo projeto)
• Possuir os softwares necessários ao desenvolvimento: plataforma de desenvolvimento (ou IDE), debugguer, ou outros
• E paciência.
Tendo o necessário em mãos, vamos ao trabalho.
Bom estudo, e até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário