Hobbies: Música

Todo mundo tem algum hobbie. Alguns bem estranhos, outros bem comuns, mas uma coisa que eu acho impossível de achar é uma pessoa que não tenha nenhum hobbie.

Os meus principais hobbies são: tudo relacionado a computadores (que eu acabei transformando em profissão), música, fotografia, e uma boa conversa. Mas neste post me restringirei a falar sobre meu contato com a música.

Pra tornar a leitura mais emocionante, preparei esta playlist com algumas das músicas que mais gosto:


Desde pequeno fui criado em lar evangélico. A família toda era da igreja Assembléia de Deus. Como na maioria das igrejas senão todas, o lado musical é levado muito em conta. Por isso aos 7 anos comecei a cantar num grupo de crianças, chamado Os Cordeirinhos de Cristo (nomezinho fofo, não?).


Além disso, minha mãe sempre gostou de cantar em casa, e sempre convidava a mim e a meus irmãos para cantarmos junto com ela.

Mesmo sendo apenas hobbies, sempre procurei melhorar eles. Por isso, de 2005 a 2008 fiz aula de música. Na época eu toquei clarinete (ou clarineta):

Clarinete, meu primeiro instrumento

Foi meu primeiro contato com a teoria da música, mas sempre gostei muito de ouvir e cantar (mesmo não sendo bom nisso). Continuei no curso de música até me mudar para Recife. Foi muito difícil pra mim ter que devolver o clarinete à escola de música. Acabou que numa enchente que atingiu a cidade o clarinete foi destruído. Era melhor eu ter ficado com ele né?

Estudei música ainda na Orquestra Triunfo dos Fiéis, da igreja Assembléia de Deus que eu fazia parte, mas logo me mudei pra Recife e tive que parar o curso pra iniciar a faculdade. Desde então fiquei parado até que esses dias eu comprei uma guitarra. Vou voltar a praticar sempre que puder.

Guitarra modelo stratocaster (a minha é desse modelo)

Acho que nunca farei nada profissionalmente que seja diretamente tocando, cantando ou produzindo música, mas é algo que eu sempre terei ao meu lado para a vida toda. Música é para mim uma fonte infinita de sentimentos dos mais diversos, desde a profunda depressão até o êxtase pleno, ou o sentimento de "tudo posso".

Espero que vocês tenham gostado do texto e claro das músicas que separei pra vocês.

Até mais!

P.S.: Aliás, aproveitando este texto, quero trazer algo levemente mórbido a público: quando chegar minha vez de partir deste mundo, gostaria que no momento que que estivesse sendo enterrado, estivesse tocando a música Gate XIII, do Angra. Tenham isso como meu último desejo desde já.

Nenhum comentário:

Postar um comentário