Vida Boa Aperreada: O dia em que quase morri afogado num tanque

Criança tá sempre fazendo peraltices. Ou presepadas, como diz minha senhora mãe. E de vez em quando algumas são até mortais!

Essa foi uma que quase me mata. E de uma das piores formas!

Este sou eu na época do fato, em frente à minha casa

Entre meu nascimento e 1995 eu morei na Usina Roçadinho, na cidade de São Miguel Dos Campos, em Alagoas. Sim, ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, sou alagoano cabra macho.

Não tenho muitas lembranças dessa época por conta da idade, mas isso foi traumático o suficiente pra ficar na memória até hoje.


Certa tarde, acho que em 1994, estavam meu irmão e eu tomando banho no tanque de lavar roupa. Criança não faz mais isso hoje em dia, né? Acho que o mais próximo dessa experiência é banho numa bacia.

O tanque era grande, feito de cimento mesmo, e era fundo em comparação com os tanques de hoje em dia. Infelizmente não achei nenhuma imagem de um tanque equivalente pra ilustrar aqui. Então fica por conta da sua imaginação.

Um tempo depois, meu irmão saiu do tanque, e minha mãe estava de costas conversando com a vizinha através da cerca do quintal. Ó o nome da vizinha: Dona Xoxa. Coisa de interior das brenhas mesmo.

Nesse momento, fora da vista de todos, aconteceu o pior: de alguma forma escorreguei e girei na água e fiquei de cabeça pra baixo me afogando sem poder me virar.

Não sei quanto tempo fiquei assim, mas sei que parecia que ninguém ia me tirar dali. Nesse momento de agonia, minha salvação foi a Dona Xoxa.

Ela viu a agitação na água e falou pra minha mãe. Quando ela viu o que estava acontecendo, correu como se não houvesse amanhã. Me tirou de dentro do tanque e salvou minha vida.

Foi por pouco que eu sobrevivi, graças à minha mãe e a vizinha.

Essa foi uma das várias vezes em que quase morri. Sim, houveram várias vezes mas aí é assunto pra outro post.

Me diz aí: tem alguma história tua onde tu quase morreu? Manda nos comentários e compartilha com o pessoal.

Até mais e cuidado quando for tomar banho de tanque.

Um comentário:

  1. bem amigo kray você pediu para compartilhar uma historia de quasi morte na infância, bem como ja fui uma menina bastante peralta o como diria minha mãe, que eu era o capeta em pessoa... tantas foram as vezes que eu quasi morri teve e vez que eu fiz uma aposta com meu irmão mais velhos de descer as escadas da vila de bicicleta logico que mim rendeu um, dente a menos e uma perna deslocada, tambem a vez que este mesmo irmão filho de uma mae mim falou que seria divertido si eu enfia-se a mão na maquina de lavar quando ligada que tambem mim redeu dois dedos quebrados, ou a vez que brincando de cavalinho na cama eu cai bati a cabeça na quina do guarda-roupa e mim rendeu 9 pontos na cabeça e um craniu aranhado... amis de longe a minha historia de quasi morte foi ver o filme do peter pan acha que so era imaginar coisas boas e que eu conseguiria levitar, e nesta ideia eu com meus 3 anos de idade mim joguei da janela de uma altura de digamos 2 metros e ainda cai de cabeça fique acho que uns dez a vinte minutos desmaiada com a queda mais por incrível que pareça a queda não foi exatamente forte , mais deve ser por isso que ate hoje não sou exatamente normal... bjs ate o procima...

    ResponderExcluir